Conheça tipos de confraternização de fim de ano para empresas

confraternizacao

Foto: Divulgação

Fim de ano. Período de esquecer um pouco do estresse do ano inteiro e aproveitar as festas, comemorar com os amigos e com os familiares. E as empresas não podem esquecer disso também, não é? Por isso muitas fazem festas de confraternização de fim de ano. E você? Já participou ou foi escalado para organizar desse evento?

Para fazê-la, é bom lembrar que é preciso tomar cuidados com alguns detalhes e não deixar para última hora – como é muito comum fazermos.

Onde?

É a primeira pergunta a se fazer. Em uma churrascaria, baladinha, restaurante, boliche? Para escolher isso, você precisa saber bem o perfil da empresa e dos funcionários. Saber se podem levar familiares também é importante.

Quantos?

Saber quantas pessoas vão é tão importante quanto o local. Para não escolher um lugar enorme, e ficarem grupinhos espalhados pelos quatro cantos, sem interação; ou deixá-los espremidos, desconfortáveis.

Comida?

Comer e beber faz parte da festa. Mas é preciso tomar cuidado com a quantia de álcool e comidas pesadas para não ter imprevistos. Opte por muita água, refrigerantes e sucos no começo; insira coquetéis e deixe o pessoal se servir da cervejinha e destilados. A comida tem que ser leve e, de preferência, que se coma com as mãos – as finger foods – para que todos circulem e não fiquem muito perto da mesa. Não esqueça a sobremesa também. E o cafezinho não pode faltar! É clássico e agrada a todos.

Diversão

Sem isso não há festa, muito menos confraternização. É hora de rir muito com os colegas de empresa. Música, DJ, brincadeiras, mágico, sorteios e brindes corporativos são garantias de interação.

A palavra chave para o sucesso da festa é planejamento. Já no meio do ano é um bom momento para pesquisar preços e conversar com os funcionários para dicas e sugestões. Não monopolize um evento que é de todos. Afinal, a empresa é um coletivo e, com a participação de todos, até mesmo os preparativos da confraternização se tornarão divertidos, e não uma obrigação.

Esta entrada foi publicada em Sem categoria. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Os comentários estão encerrados.